Este lugar vai ser o seu companheiro na divisão de Mambos e Problemas. Makas também são aceitaveis. Todo e qualquer problema poderá encontrar alívio aqui. Envie toda a sua carga para aqui. Não se iniba. Divida connosco o que o(a) apoquenta.

PROBLEMAS EM CASA

PROBLEMAS NO TRABALHO

PROBLEMAS NA COMUNIDADE

PROBLEMAS COM AS AUTORIDADES

PROBLEMAS DE SAÚDE

PROBLEMAS NA ESCOLA

PROBLEMAS PESSOAIS

PROBLEMAS POLÍTICOS

PROBLEMAS INTÍMOS

PROBLEMASENTRE NAMORADOS

PROBLEMAS PEQUENOS

PROBLEMAS DE GRANDE DIMENSAO

PROBLEMAS COM VIZINHOS

APENAS PROBLEMAS

OUTROS PROBLEMAS

 

AngoProblemas

PROBLEMAS DE SAÚDE

Os  Pacientes

Precisamos de melhores profissionais de saude

Teve um acidente no trabalho. Os colegas prontamente prestaram-lhe os primeiros socorros. Tiveram de despi-lo. O ferimento junto a parte superior da perna esquerda sangrava. Decidiram leva-lo ao hospital. Alfredo estava com dores. Caira de uma altura de cerca de três metros,  e ao faze-lo embateu em ferros e arames. Infelizmente a companhia de contrução civil para quem trabalhava não era rigorosa no cumprimento de regulamentos sobre saúde, higiêne e segurança no local do trabalho. Ao ser levado, apenas vestindo cuecas, o sangue jorrava moderadamente. Ao chegar ao hospital as enfermeiras dicidiram que o ideal seria retirar-lhe as cuecas para que se lhe prestasse os primeiro socorros mais facilmente.  Alfredo olhou a sua volta. Havia muita gente naquela sala. Gente grave, gente não tão mal, todos lutando para serem atendidos  pelo pessoal médico. Estes cheios de trabalho, andavam de um lado para outro. Alguns denotando sinais visíveis de cansaço, ignoravam pacientes acamados no corredor e os sentados nos bancos da sala de urgências. Ouviam-se gemidos e resmungos, reclamações em voz alta, mas também maldições em voz baixa pela falta de atenção a que estavam votados.    Faziam-no em voz baixa para não serem alvo de represálias do pessoal médico, sabendo-se da natureza vingativa e irresponsável de muito profissionais de saúde no pais.  Ao passo, que as enfermeiras tentavam tira-lhe as cueccas, Alfredo tentava cobrir-se com o lençol da cama. Uma delas ironícamente ri-se dele e atira: " O que ? Estas com vergonha ? Estamos habituadas a ver coisas muito maiores do que isto ai ". Humilhado, ante as gargalhhadas que se seguiram dos que ouviram a tirada,  Alfredo preferiu calar-se para não ser novamente vitima de profissionais que só estavam aí por acaso, em vez de por mérito profissional.

 

 

PROBLEMAS EM CASA

PROBLEMAS NO TRABALHO

PROBLEMAS NA COMUNIDADE

PROBLEMAS COM AS AUTORIDADES

PROBLEMAS DE SAÚDE

PROBLEMAS NA ESCOLA

PROBLEMAS PESSOAIS

PROBLEMAS POLÍTICOS

PROBLEMAS INTÍMOS

PROBLEMAS ENTRE NAMORADOS

PROBLEMAS PEQUENOS

PROBLEMAS DE GRANDE DIMENSAO

PROBLEMAS COM VIZINHOS

APENAS PROBLEMAS

OUTROS PROBLEMAS

 

 

 

Precisamos de melhores profissionais de saude

Enquanto passeava com o filho Jó, este começou a sentir-se mal. O pai Osvaldo, dicidiu leva-lo a um hospital de referência da cidade capital. O jovem Jó de Dezesseis anos, era um estudante brilhante e desportista eximio, praticando basketball no Villa Clotilde.   Jó Sentia palpitaçoes na região do torax e foi o que informaram ao médico ao ser consultado. Depois desta explicação, o médico, que não se dignava a olhar para o paciente enquanto falava, escrevia algumas notas logo depois de perguntar ao pais: " Então o que o seu filho tem ? "  Enquanto este ainda falava o médico escrevia uma nota e dizia: " Por favor ir ao sector de raio X tirar uma radiográfia, depois vai tomar um painkiller para as dores e caso a situação manter-se então deverão voltar ao hospital Segunda Feira, visto que aos sabádos nao fazendo consultas de cardiológia". Visivelmente irritados sairam do consultório médico. O Jovem Jó ( por sinal tendo nascido na Inglaterra e lá vivido quinze anos, conhecendo como bons profissionais médicos devem comportar-se e tendo recebido ao longo  de sua vida os melhores  tratamentos disponivéis atirou logo: " porque é que ele não falou comigo ? Este sujeito acha que sou tão criança que não posso explicar o que sinto ? Porque é que ao longo da conversa ele dava a impressão de já saber do problema sem antes ouvir na totalidade o que se tinha a dizer ? Sendo que me queixo de dores no peito porque ele não auscultou meu coração ? Porque razão não mencionou que tensão arterial eu tenho ? Está ele mais interessado no valor que vamos pagar pela radiográfia do que em tratar-me efectivamente ? Porque ele nem sequer quiz saber se tenho um histórico relacionado a estas palpitações que sinto ? " Abanando a cabeça em sinal de concordância, Osvaldo acalmou o filho. Sairam do hospital. dicidiram que ali não encontrariam ajuda.   Na Segunda feira voltaram ao hospital, mas desta vez dirigiram-se a secção da SOS onde Jó foi visto, pelo Dr X de nacionalidade Inglesa. Este conversou com Jó extensivamente. Observou-o, fazendo testes e perguntas.   Jó sentia-se bem e em mãos capazes. Osvaldo, triste, observava aquela cena. Quando teriamos aquela competência no nosso pais ?  Quando é que os nossos médicos deixariam de achar-se mais importantes do que seus pacientes ? Quando teriamos um sistema de saúde mais humano e menos arrogante ? Com igual tristeza reconheceu que do jeito como as coisas andavam, com os hospitais dando mais importância ao lucro do que aos cuidados médicos e a competência profissional dos médicos/enfermeiras/e recepcionistas ainda sofreriamos muito até atingir o nivél do Dr Daniel e seus pares europeus.

Resultado:

Os Angolanos estão insatisfeitos com os cuidados de saúde que não recebem. Temos bons médicos e enfermeiras, mas seu número é muito limitado.

 

Sugestões:

·         Não estude medicina se não ama genuinamente o próximo

·         Não se torne médico pensando em inriquecer. O objectivo principal da medicina é cuidar de seres humanos. Apenas isso.

·         Faça tudo para tornar o seu hospital/centro médico o mais humano de Angola

·         Evite desreipeitar pacientes. Siga o exemplo dos bons, seja humanista e acima de tudo pense no efeito que suas palavras têm sobre outros.